parabéns melhor amigo


Bem, antes de mais nada, PARABÉNS melhor amigo @ 16 anos não se fazem todos os dias :)
Sei que este ano o teu dia de anos não é como tu esperavas que ia ser, mas apesar de tudo, apesar do sítio onde estás, quero que sorrias. Mesmo sem eu te poder ver, vou relembrar todos os sorrisos que, diariamente, me mostravas. Quero que te lembres dos momentos que passámos juntos. Daamizade que nos unia. Devo-te um grande OBRIGADO, por tudo o que fizeste por mim, pelas coisas que me ensinaste, por me teres mostrado que não podia deixar-me cair por coisas que não valem a pena.
Passaram dois meses, mas as memórias permanecem, e o sentimento que nos une, não mudou
Cada carta que me mandas, cada palavra que me escreves, é um motivo para eu sorrir e erguer a cabeça. É um motivo para eu ter força para seguir em frente, porque mesmo não estando um ao lado do outro, estamos e estaremos sempre juntos. Muita coisa ficou por dizer, e por fazer, mas certamente, um dia, vamos recuperar o tempo perdido. Fazer o que não foi feito.
Hoje, mais que nunca, eu tenho a certeza que é a ti que posso chamar de melhor amigo, não pelo que és, mas pelo que somos um com o outro. Estiveste do meu lado quando mais precisei. Ajudaste-me mesmo sem eu te pedir ajuda. Sabias quando estava mal ou bem. És aquele capaz de me fazer sorrir quando o que mais me apetece é chorar. 
Ninguém imagina o quanto é bom, e eu me sinto bem, por receber cartas e notícias tuas, por saber que estás bem... Mas o que ninguém imagina mesmo, é o que eu sinto por saber que apesar da distância, e de todas as circunstâncias, continuamos juntos, e mais unidos que nunca. 
"A distância é como os ventos: apaga as velas e acende as grandes fogueiras.". Com o tempo aprendi que a distância pode separar dois olhares, mas nunca dois corações. E se eu já sabia que a nossa amizade era verdadeira, agora tenho a certeza que nada, nem mesmo a distância, nos consegue separar. 
Já tentei tantas vezes meter-me no teu lugar, tentar imaginar o que estás a sentir... Mas não consigo. Por mais que tente, não consigo imaginar-me longe de tudo o que eu há muito tempo chamo de vida. 
Há muito tempo que não digo a ninguém, que estou bem. E sou sincera. Há dois meses levaram metade de mim para longe, e hoje, eu já não sou a mesma de há dois meses atrás, hoje, eu vivo, mas com um enorme vazio dentro de mim. Vazio esse, que só tu podes preencher. Eu não desisto, pelo simples motivo, de saber que tu também estás à minha espera, e que um dia vou preencher este vazio.
Estou à tua espera, como sempre estive.
Estamos juntos !
Love you ♥

[enviei carta]

a.


Dizes que seguimos caminhos diferentes, mas, quem sabe, esses caminhos vão dar ao mesmo ponto de encontro.

He's ok.


Qualquer dia desisto de ti. Desisto de vez. Estou farta de lutar por ti, por nós, pela nossa amizade, e de levar para trás. Estou farta de derramar lágrimas por quem não as merece. Tudo bem, andas ocupado. Isso é desculpa para me rejeitares? Eu falo contigo e muitas vezes nem respondes, ou então, simplesmente dizes 'o dia correu mal, estou cansado, hoje não', enquanto eu quero um 'olá' ou qualquer coisa do género, e eu... Eu apenas digo 'tudo bem, beijinho.'... Mais um dia passa, eu falo de novo contigo, e levo outra vez para trás. Não aconteceu nem uma, nem duas vezes... Foram várias, até eu chegar mesmo ao ponto de meter na minha cabeça que se calhar mais vale não lutar mais. Fazes-me sentir fraca às vezes... Não falas comigo, mas falas com outros(as), e então? Estás cansado para mim, mas para os outros não estás? É isso? Pois. Neste momento eu já espero tudo de ti. A nossa 'amizade' está nas tuas mãos, só te resta decidir o que queres fazer com ela. E lembra-te, eu gosto muito de ti, e por ti, faço tudo.

A vida continua!


Quem diria! Naquele dia, acordei ainda de madrugada, ainda era cedo. Acordei naquela nossa cama. Bem, pensando melhor, na minha cama, pois sem ti, já não é a mesma. Eu sentei-me, dei por mim a tentar convencer-me de que aquilo não tinha passado de um sonho, um pesadelo. Tentei convencer-me de que apenas tinhas abandonado a nossa cama para ires trabalhar. Procurei na tua mesinha de cabeceira, vazia e “desabitada”, para ver se tinhas deixado alguma coisa, um bilhete talvez, ou uma mensagem no meu telemóvel, mas nada, nenhum bilhete, nenhuma mensagem. Comecei a tomar consciência da realidade. Foi nesse momento que decidi levantar-me, com um pouco de esperança ainda, dirigi-me para a casa de banho, mas quando lá cheguei, nada de perfumes teus, nada de roupa caída no chão ao pé da banheira, como era habitual. Nada de escova de dentes tua, nada de pasta, nada de nada. Voltei para o quarto, ‘nosso’ em tempos. Agora apenas meu, silencioso e arrumado. Ao andar pela casa, nada do teu perfume, não ouvia aquelas músicas que era costume tu ouvires logo pela manhã. Não se ouvia nenhum barulho no exterior da casa, ainda era cedo, seis da manhã, talvez. Eu senti-me desconfortável com aquela situação. Não tinha nem uma recordação tua. Na sala já não estavam aquelas tuas garrafas de Martini, vinho, etc. Já não havia fotografias nossas espalhadas pela casa. Os teus CD’s e DVD’s haviam desaparecido. No escritório já não estavam os teus papéis espalhados pela secretária, nem o maço de tabaco que normalmente ali deixavas esquecido. No armário já não estavam as tuas camisolas. Finalmente, eu percebi! Percebi que tinhas sido tu quem tirou tudo dali. Tiraste-me tudo, tudo o que me aconchegava quando em casa não estavas. Decidiste partir, sem nada me dizer. Passei noites sem dormir, sem sentir os teus pés na cama, a aquecerem os meus. Sem os abraços que me davas antes de adormecer. Já nada naquela casa era o mesmo. Mas eu deixei de ser tão sensível, tão frágil. Eu decidi mudar. Pôr, de vez, um ponto final naquele passado que ainda me atormentava. A solução que eu encontrei, foi sair dali, mudar de vida, mudar a minha vida. Fui para bem longe daquele sítio, para que nada, me fizesse lembrar de ti. Hoje, eu digo que não sinto saudades tuas, que aprendi a viver com a tua ausência. Porque a vida continua.

P.s. – Eu não esqueci, apenas aprendi a lidar com o facto de tu teres partido e eu ter ficado.

Paixão vs Amor


Muito bem, hoje propuseram-me um desafio, supostamente para escrever sobre e para “a minha paixão”, mas, pensando bem, porquê ter uma “paixão”? Porquê uma “paixão” e não um “amor”? Decidi escrever antes sobre a diferença entre amor e paixão, que provavelmente, muitos desconhecem. A paixão é um sentimento que tão depressa pode vir, como ir embora. Enquanto que o amor é um sentimento duradouro. Por vezes a paixão é agressiva, e o amor é delicado. Paixão envolve dor, amor envolve alívio. Paixão é dúvida, mas amor é uma certeza. O amor faz’nos querer mais, partilhar com o outro as lições de vida que vamos aprendendo. O amor faz’nos superar dificuldades, a paixão faz’nos criar obstáculos. O amor é um sentimento bastante cuidadoso, atencioso e cúmplice. Para haver amor é preciso saber aceitar que o outro tem defeitos, que somos diferentes mas que conseguimos conviver com essas diferenças. Apesar da paixão ter mais contras do que prós, quem disse que quem ama não sofre, não chora, não sente dor, ciúmes e não erra? Acho que também é preciso estarmos apaixonados para poder haver um verdadeiro amor.

Best*


Sinto falta de alguém a quem chamar "Melhor amigo", alguém com quem desabafar, sinto falta de alguém que me ouça, de alguém para abraçar, de alguém que esteja do meu lado quando mais preciso. Sinto falta de TI, do teu carinho, dos teus sorrisos, dos simples olhares, das conversas. De TUDO. Sinto a tua falta, é impossível negar. Desde o dia em que foste embora, sempre soube que não ia ser fácil, não ia e não está a ser fácil. Hoje, dou por mim a fazer contas, e a pensar que já lá vai cerca de um mês, há um mês que não te vejo... Há um mês que não ouço a tua voz, não vejo o teu sorriso, não sinto a tua presença ao pé de mim. Foi um mês que mais pareceu uma eternidade. Cada dia parecia um ano. O tempo passa e as saudades apertam, mais e mais. Não sei se consigo esperar mais, não sei se vou aguentar mais tempo sem ti. Todos os dias penso em ti, há dias em que fico com um sorriso nos lábios ao me lembrar de tudo o que passámos juntos, mas há outros em que as saudades são mais fortes que eu, e as lágrimas escorrem pelo meu rosto. Mas depois, eu penso, que se estivesses aqui, ao pé de mim, não me ias querer ver chorar, então eu limpo as lágrimas, limpo-as e penso nos sorrisos que me deste, me mostraste. Penso no brilho que os teus olhos tinham. Penso em como eras lindo, e agora deves estar ainda mais *-*. Tu sabes que o que sinto por ti é verdadeiro, sabes que vou estar SEMPRE aqui para ti, que vou ser sempre tua amiga, que não te vou deixar nem abandonar NUNCA. Quando voltares, vou estar à tua espera, tal como agora. Amigos como tu, são aqueles difíceis de encontrar, mas apesar de tudo, impossíveis de esquecer! Quando voltares, vou ter um monte de coisas para te contar. Mas há uma coisa que eu não queria deixar de te dizer, uma novidade que eu gostava mesmo de partilhar contigo. Como tu sabes, as minhas notas no segundo período, desceram. Mas eu prometi, prometi aos outros e principalmente a mim, que me ia esforçar, esforçar-me para subir as notas. Eu esforcei-me, e a prova disso foram as notas no final deste terceiro período. Subi! Não sei se para ti isto vai ter muita importância, mas o que eu te quero dizer com isto, é que o esforço vale a pena, e que quando acreditamos numa coisa, temos de lutar por ela (: Eu acredito que tu te vais esforçar aí dentro, e que vais conseguir. Tenho mesmo muitas saudades tuas, melhor amigo. Volta rápido, estou à tua espera ♥ Gosto MUITO de ti!